Zema e o presidente do Novo, João Amoedo

Nos últimos 30 anos, o Estado de Minas Gerais vem experimentando o sabor amargo de ser governado pela nata dos políticos mais corruptos de sua história. Nem mesmo os capitães generais da fase colonial sediados em Ouro Preto conseguiram roubar tanto. Nesse momento de completa desmoralização um rosto novo da região interiorana mineira surge como esperança de um modelo administrativo de transparência no serviço público. Trata-se do empresário Romeu Zema , 52 anos, natural de Araxá, já confirmado como postulante ao Palácio da Liberdade pelo Partido Novo. Apesar de desconhecido nos meios políticos, o que não deixa de ser vantagem, Zema desfraldará as bandeiras  fortíssimas das regiões do Triângulo e Alto Paranaíba e deverá incendiar a competição eleitoral na medida em que forem se dando visibilidade aos seus projetos enquadrados no enxugamento da máquina pública com possibilidades, inclusive, de privatizações da CEMIG e da COPASA. Ele é contra o estado empresarial que, na sua opinião, deveria se limitar às atuações em áreas sociais, educação, saúde e segurança. Provavelmente, será a primeira vez na história que um candidato intimamente ligado ao Alto Paranaíba se apresenta para disputar a poltrona principal de Minas. Romeu é empresário ligado ao setor varejista de eletrodomésticos, dono do Grupo Zema, com 309 lojas em cidades de  menor porte, além de um dos principais distribuidores de combustíveis do Estado e um faturamento, ano passado, de R$ 4,5 bilhões. Ontem, sua assessora de imprensa Virginia Zagnoli informou que ele percorrerá mais de 500 municípios e sua visita a São Gotardo está prevista para 31 de julho.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
rss