Nenhum dos   13 atuais vereadores exerce o papel de fiscal sobre  os atos do executivo municipal . Nos últimos 15 anos, apenas dois edis cumpriram à risca essa honrosa função: Odair Mussi e Ricardo Nunes. Eles fazem falta na Casa…

Nossas duas matérias dos últimos quatro dias focando preços abusivos na rede varejista de São Gotardo continuam repercutindo, intensamente, sobretudo, pelo fato de que as denúncias nelas contidas refletem um ponto fundamental: o bolso do consumidor. O bolso sempre representa a parte sensível do corpo humano! A sociedade local reagiu maciçamente em apoio, por exemplo, às considerações críticas, mas construtivas  da jovem Cidinha Justino nascida na cidade. Em manifestações equilibrados, sem no entanto reprimir a repulsa, mães, pais e filhos dão indicativos de estupor como se despertando de um estado de catalepsia e omissão originários do conformismo e submissão a uma casta privilegiada de caciques no poder político e econômico. Durante décadas, a conta gotas, vem prevalecendo o status quo de uns poucos sobre a maioria, resultando no atraso econômico e social geradores da paralisia do município.

O mais grave dessa dura realidade é que os órgãos públicos caíram em mãos de agentes públicos viciados na cultura do enriquecimento ilícito!. Corrupção e incompetência são sinônimos de destruição! Ocorre em São Gotardo o cenário trágico do país governado nos últimos 15 anos pelo rebotalho político.

Não obstante, cabe ainda aos moradores são-gotardenses uma tarefa pujante de longo alcance! Mas antes, torna-se obrigatório um questionamento: na avaliação entre um empresário supermercadista monopolizador de preços e políticos corruptos qual deles mereceria receber maior consideração? Certamente, não haveria dúvida! É evidente que a complacência deveria se dar em relação ao dono de uma loja. Pois, claro, não é tarefa tão difícil aplicar contra ele as rígidas disciplinas de mercado, seja deixando de fazer compras nas suas casas, seja pela implantação do regime da concorrência aberta. Sempre é bom lembrar que eles prestam relevantes serviços à sociedade, pagam impostos, geram empregos e correm riscos diários de calotes.

Infelizmente, as mesmas penalidades não são costumeiramente aplicáveis ao político corrupto! Ou seja, a metástase que corrói o tecido social de SG não está diagnosticada no comércio, mas nos meios políticos que nada produzem, ganham salários altos sem trabalhar e solapam o tesouro municipal! Daí se originam todos os males! E a consequência dramática é o sucateamento dos serviços públicos hospitalares, á ruína da Saúde Municipal, ausência de investimentos sociais!

Nos últimos 40 anos, os poderes executivo e legislativo se encontram sob total domínio em revezamento entre caciques políticos, as mesmas caras de sempre, o mesmo populismo, os mesmos discursos, as mesmas falsas promessas. E, quando assumem, mais parecem vorazes abutres devorando as riquezas públicas. Nos últimos 10 anos, tivemos mais de 20 políticos condenados por corrupção, seis vereadores e um prefeito sentenciados a cumprir cadeia, entre seis, 10 e11 anos em regime fechado!

O mais grave desse cenário é que tais agentes desonestos, enquanto aguardam modorrentos julgamentos dos seus recursos, são reeleitos e participam do processo político tomando decisões em nome do povo que roubaram. Pior ainda: leitores escrevem manifestando leal fidelidade a eles “porque ajudam os mais pobres no encaminhamento a hospitais”. De fato, ajudam, mas não com recursos próprios , o fazem com dinheiro surrupiado ao erário público. Idêntico exemplo do narcotraficante que dá uma cesta básica a um favelado em trioca de cumplicidade. As recentes condenações revelaram essa obscenidade do dinheiro público desviado a serviço do abuso político.

Resumindo, um cidadão consegue encontrar fórmulas de punir um empresário voluptoso, mas jamais na área política. Dinheiro roubado nunca retorna aos cofres! Nesse caso, o eleitor é triplamente castigado, pois coloca sob risco o seu futuro, o dos próprios filhos e o do município que vê suas verbas para investimentos sociais desaparecerem como se fumaça. Sem contar que vereador trambiqueiro é useiro e vezeiro em apoiar um prefeito igualmente sem princípios morais!

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
rss