Pastor Claudinei e o irmão Cleomar acusados de improbidade

A Câmara Municipal de Dores do Indaiá, no Alto São Francisco, ainda não tomou as providências de encaminhamento ao Tribunal de Contas do Estado das denúncias de mau gerenciamento das secretarias municipais de Ação Social e de Esportes encabeçadas pelos irmãos Martins, o pastor evangélico Claudinei e Cleomar, acusados de conduzir as relevantes finalidades sociais das pastas na prática de interesses políticos pessoais, fazendo trocas de suas funções do mesmo jeito que se faz nas tradicionais catiras do interior mineiro. Caso o TCE seja acionado, o próprio prefeito Ronaldo Costa, “Ronaldinho” deverá ser também alvo por permitir tamanha excrescência

Entre tantas irregularidades, destaca-se o Programa “Mexa-se”, que deveria estar sendo tocado na pasta de Esportes, mas foi parar na de Ação Social. Esta semana, Claudinei esteve na Câmara e  pediu para não ser denunciado ao TCE, alegando normalidade em sua secretaria, mas ainda não se sabe qual a  decisão do vereador   Evamir Santos, atual titular da Casa, substituindo o presidente “Leo Bombril” em tratamento de doença. Ora, se o atual prefeito Ronaldinho acaba de ser denunciado no tribunal pela mesma Câmara por conta de recentes  ilicitudes porque não também seus dois subalternos delituosos?

Na barba do mandatário de Dores do Indaiá, os dois irmãos vêm manipulando as finalidades sociais das duas pastas invertendo as funções , prevalecendo as prioridades do pastor Claudinei já que o mano carece de competência mínima para gerenciamento público. Ou seja, uma estranha ligação dentro do órgão municipal de cidadãos consanguíneos em duas pastas de relevância social cujas decisões são miradas na politicagem. Quem paga a conta de tais descalabros é justamente quem deveria estar sendo beneficiado: os mais necessitados.

Nesta  semana, um cidadão evangélico fez queixa contra Claudinei na CBB – Convenção  Batista Brasileira da qual ele é pastor, e obteve, em áudio, uma resposta intrigante do também pastor e secretário José Renê Toledo, afirmando: “Quero informar que recebi material provando a inocência do pastor Claudinei tanto do setor competente da prefeitura quanto do advogado da prefeitura também, ok? “

De fato, não deixa de ser intrigante a resposta de Renê, pois ele já atesta a inocência do pastor antes mesmo de se fazer as devidas investigações sobre seus atos na pasta de Ação Social. E fica ainda mais grave por afirmar que setores competentes da prefeitura e um advogado do órgão comprazem de sua inocência. Ou a prefeitura e o advogado concederam a ele um atestado antecipado de honestidade ou o secretário da CBB extrapolou manipulando  a resposta ao fiel evangélico.Coisas estranhas  andam  acontecendo nessa Prefeitura onde todo mundo parece mandar…!

 

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
rss