Passando distante das denúncias de roubos escandalosos aos cofres públicods que estão destruindo o município, as mobilizações de São Gotardo poderiam ter sido muito mais eficientes

Passando distante das denúncias de roubos escandalosos aos cofres públicos que estão destruindo o município as mobilizações de São Gotardo poderiam ter sido  mais eficientes se o povo tivesse manifestado seus protestos

As mobilizações de São Gotardo, no Alto Paranaíba, deram prioridade às denúncias de corrupção praticada em nível nacional, preferindo permanecer à distância dos crimes praticados no município onde seu prefeito Seiji Sekita vem assaltando os cofres municipais, principalmente, na área de saúde, com desfalques de milhões, contando com a vergonhosa cumplicidade de 10 vereadores para acobertar seus pacotes de safadezas. Cidadãs de moral ilibada, mães de família, pessoas queridas e de bem, as quatro organizadoras do movimento, no entanto, provavelmente, pela convivência e proximidade às pessoas envolvidas em crimes tão revoltantes contra o povo, se sentiram constrangidas e intimidadas à ponto de optarem pela focagem apenas da corrupção em nível de Brasil, deixando escapar uma grande oportunidade de desnudar a safadeza ora correndo solta em São Gotardo. 

Tais indecisões podem ter influenciado na perda de objetividade e eficiência das manifestações, mas, de qualquer maneira, não invalidam a mensagem de mostrar o sentimento de revolta que se apodera da alma de cada brasileiro, entre eles, as poucas pessoas que compareceram à Praça Ciro Franco, de São Gotardo, levando, inclusive seus filhos.

Quem sentiu na alma o desejo de Justiça contra os corruptos se fez presente

Quem sentiu na alma o desejo de Justiça contra os corruptos se fez presente

São Gotardo, de certa maneira, é o retrato exato de um Brasil em miniatura. Se, de Brasília, tal como nuvens de gafanhoto, o governo desonesto do PT destrói o país, em São Gotardo, um prefeito corrupto também do PT, se apodera até do minguado dinheiro necessário à compra de remédios destinados à população humilde.

Neste município, o descaramento e a falta de vergonha dos políticos chegou a um nível de desfaçatez tão grande que eles, sem dar a menor importância às mobilizações contra a corrupção anunciadas em todo o pais, já se preparavam, semana passada, para uma reunião, hoje ou amanhã, com a finalidade de aprovar as contas do mandatário Sekita, referentes a 2013, exatamente, o período em que ele e outros comparsas assaltaram os cofres municipais, na área de saúde, praticando roubos de quase R$ 6 milhões.

a passeata foi encerrada em frente à Câmara Municipal

Passeata foi encerrada em frente à Câmara Municipal

O Hospital Municipal (Santa Casa), não dispõe, hoje, sequer de simples remédios, assim como assistência médica. Tudo lá se encontra em completo abandono, como se estivesse fechado ao povo. A cidade jamais enfrentou um momento tão vergonhoso em toda a sua história.

Esperava-se que as mobilizações deste dia 15 tivessem como foco principal estas questões ora afligindo o município, inclusive, incluindo no roteiro de sua passeata uma passagem rápida pela Santa Casa, no intuito de tornar público tantos desmandos. Não obstante, optou-se timidamente pelas questões nacionais.

Em matéria publicada semana passada, este site  fez a seguinte oservação: “começa, portanto, pela própria casa, a varredura da sujeira. Quem mora neste município sabe tudo sobre os absurdos ocorrendo lá… Não se pode ir às ruas ignorando ou passando uma borracha sobre tamanhos escândalos!”

De tais condescendências se aproveitam os políticos bandidos para escapar das penas da lei. E é o que está acontecendo, agora, em São Gotardo. Manifestantes se intimidam diante de parrudos “chefetes” da política vestidos de terno e gravata.

Na manhã deste dia 16, o juiz federal Sérgio Moro mandou prender mais 18 pessoas envolvidas nos crimes de corrupção na Petrobras. Ou seja, o juiz ouviu o brado de apoio da população à sua atuação e já iniciou o dia  de hoje mandando prender outros membros da quadrilha de Lula.

É o que deveria estar acontecendo em São Gotardo. O prefeito Sekita tem contra ele, inclusive, um relatório oficial incriminando sua administração em desfalques de quase R$ 6 milhões. Além disto, a cidade se encontra abandonada, mas não há quem queira incomodar o mandatário. É como se ele fosse o chefe supremo do município, a própria lei!

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
rss