RIO PARANAÍBA/URGENTE  –   O prefeito de Rio Paranaíba Márcio Antônio Pereira foi afastado do cargo por um prazo de 180 dias, em  decisão emanada do Tribunal  de Justiça atendendo parecer do Ministério Público local e da Procuradoria Geral do Estado visando resguardar   medidas investigativas sobre  gravíssimas  irregularidades praticadas pelo governante antes e depois das eleições de 2012. Com as provas já acumuladas, tudo indica que ele será cassado, em definitivo.

O vice Marcelo Resende já recebeu a notificação do Ministério Pública lhe garantindo, oficialmente, a posse, em substituição a Márcio Pereira.   Ainda hoje, às 15 horas, o promotor de Rio Paranaíba, José Geraldo de Oliveira Silva Rocha, concede entrevista coletiva, explicando os motivos do afastamento.

Prefeito corrupto de Rio Paranaíba deverá ser cassado, em definitivo

Prefeito corrupto de Rio Paranaíba deverá ser cassado, em definitivo

No dia 2 de abril deste ano, este site publicou que o promotor José Geraldo de Oliveira Silva Rocha, apresentou resultados de uma Ação Civil Pública, por ele instaurada, na qual conseguiu provar não só negociatas envolvendo o  mandatário ora afastado, Márcio Antônio Pereira, assim como logrou êxito também em descobrir outra surpreendente falcatrua do governante: em apenas um dia o departamento de licitações da prefeitura conseguiu a  incrível façanha de realizar seis concorrências públicas, proeza da qual não seria capaz a mais eficiente administração.

O certo é que Silva Rocha não teve a menor dúvida de requerer a pena de perda da função pública para o prefeito, bem como a suspensão dos seus direitos políticos por oito anos e ainda, o que é muito salutar, pagamento de multa civil de até duas vezes o valor roubado, incluindo-se a proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios.

Ainda como candidato, o descarado governante de Rio Paranaíba, que dificilmente escapa da condenação de ser cassado em definitivo, montou um esquema com vários donos de firmas, no sentido de elas trabalharem em sua campanha bancando todos os custos. Após as eleições, eles seriam  recompensados através de cargos efetivos de assessoria jurídico-administrativa pelos privilégios do sistema de cartas-convite todas elas direcionadas, ou seja, exclusividade reservada  a apaniguados.

O representante do MP de Rio Paranaíba enquadrou todos os proprietários das referidas firmas envolvidas nas “mutretas” com o prefeito , além do afastamento de servidores públicos envolvidos, num total de sete réus.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
rss