Echegoyen: general de Temer

A República instaurada no país em 1889 pelo Exercito Brasileiro inspirado nos princípios morais do filósofo e escritor francês Auguste Comte, da ordem, disciplina e honestidade, além da imagem positivista de progresso, está agora ameaçada de perda desses valores fundamentais por um general gaúcho das mesmas Forças Armadas, Sergio Whestphalen Etchegoyen, chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência. O militar e o atual chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, este acusado de crimes graves contra o tesouro nacional , desejam interferir nas nomeações da PF no âmbito da Lava-Jato e já teriam até um substituto para o atual diretor Leandro Daiello cujo cargo poderá ser ocupado pelo delegado Rogério Galloro ora lotado no segundo posto hierárquico, desde 2003. “Não tem experiência em investigações e é apontado por seus pares como um policial de perfil mais político. Sim, ser político no Brasil é um problema grave. O general, ao aceitar essa estranha missão de Temer, parece ignorar que pode estar atentando contras as esperanças do povo brasileiro de restaurar a ordem e a Justiça no país, os verdadeiros motivos do golpe militar de 1889 chefiado por Deodoro da Fonseca.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
rss