Prefeito de Dores mandou exonerar suspeitos

Prefeito de Dores mandou exonerar suspeitos

Réu contumaz de quatro CPIs nas quais foi acusado de gravíssimos crimes de desvio de verbas públicas, o ex-prefeito de Dores do Indaiá, no centro-oeste mineiro, Joaquim  Ferreira Cruz, entregou o posto, ano passado, com  fama de ser um dos políticos mais corruptos de Minas e de ter  deixado  o  município  espoliado e falido como se  verdadeiro cenário de terra arrasada  por nuvens de gafanhotos famintos.

Mesmo nos dias atuais, já sob novo governo, a cidade de 13.700 habitantes  parece não conseguir se livrar dos efeitos nocivos dos seus três malfadados mandatos. Ontem, o atual prefeito, Ronaldo Costa, “Ronaldinho”, fez circular na imprensa local e redes sociais  uma nota de esclarecimento informando que mandou instaurar inquérito administrativo para investigar fortes sinais de desvio de dinheiro público ocorrendo desde junho do ano passado durante  mandato de Cruz, envolvendo funcionários de cargos comissionados.

Costa esclarece que as investigações foram precedidas das medidas cautelares de afastamento dos funcionários acusados no intuito de facilitar as investigações, mas na cidade há quem debite à sua  falta de habilidade política os novos escândalos. Pelo seguinte motivo: cargos comissionados  ou de confiança são da estrita nomeação do governante e não se pode entender, segundo os questionamentos,  os motivos pelos quais ao assumir deixou de fazer uma limpeza nas repartições, despachando todo o  pessoal de Cruz.

 Pelas informações de Costa,  os desvios  envolvendo pessoas em cargos comissionados ocorrem desde 2012 e  tomou  as medidas cautelares de afastá-los.  Portanto, está, claramente, informando  que elas  se encontravam lá desde o ano passado e, agora, figuravam como seus empregados. Além disto, cargos comissionados (em número de 56 nos tempos de Cruz) representam  o lado vergonhoso das administrações públicas, por serem completamente desnecessários. Servem apenas para abrigar cabos eleitorais, indicações de caciques, amigos  e  parentes

No cenário político da cidade, Ronaldo foi muito criticado por ter concordado em receber apoio de Cruz, durante  a campanha de sucessão, acordo este considerado sem sentido. Afinal, o então prefeito se encontrava  desmoralizado e  sem cacife para apadrinhar  sequer um  postulante à sucessão.

Leiam, abaixo, na íntegra, a nota de esclarecimento distribuída por Ronaldinho:

Cidade de Dores do Indaiá ainda leva tempo para se livrar das marcas de Joaquim Cruz (Clique para ampliar)

Cidade de Dores do Indaiá ainda levará tempo para se livrar das marcas de Joaquim Cruz (Clique na foto para ampliar) 

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail
rss