É deplorável o estado de conservação do edifício que simbolizou a grandeza do município. A imagem eloquente de menosprezo do prefeito Ronaldinho..

Construído em plena efervescência da fase áurea de Dores do Indaiá  então conhecida até fora do Alto São Francisco pelo orgulhoso apelido de “Princesinha do Oeste”, o lindo prédio em estilo neoclássico de colunas majestosas da então cadeia pública,  depois sede da Prefeitura, vive  a ameaça presente de se transformar em ruínas. Encontra-se completamente abandonado, algo parecido a uma edificação fantasma, transformado em depósito de coisas velhas e habitação de milhares de pombos. E, certamente, ao ser isolado do público, ficou ainda mais fragilizado às intempéries. Quem o vê hoje e compara sua aparência de dois anos atrás  sente que seu destino  está traçado: desabar e virar um monte de entulho.

O atual prefeito reeleito Ronaldinho foi alertado, diversas vezes, por esse site, sobre o péssimo estado de conservação do histórico edifício que simbolizou grandeza pretérita do município. Não obstante, suas respostas nunca tiveram a legitimidade convincente de um agente público comprometido com a preservação do patrimônio municipal, a exemplo de uma das suas versões,  ainda no primeiro mandato,  segundo a qual uma empresa se encarregara das reformas. Mas nunca passou de conversa fiada!

Quem tem acesso ao prédio leva um susto logo de quebra quando nele entra. Tudo que se acha guardado lá dentro está danificado pela umidade decorrente do excesso de goteiras ou manchado e impregnado do mau cheiro das fezes de pombos que   transformaram a edificação em confortável    abrigo.  O período chuvoso acarretará  lá efeitos ainda mais nocivos! A carcomida e pálida cor da pintura externa toda descascada tem a sintomática aparência de um paciente vivenciando a fase de morbidez,   esvaindo-se em processo de corrosão.

Pior ainda, o estado calamitoso da ex-cadeia pública parece simbolizar mesmo é a própria decadência do município. Enfim, ao longo de décadas, o populismo de políticos mentirosos exerce ali o predomínio de mando e seus nomes se destacam muito mais por conta dos envolvimentos em escândalos de corrupção. Os quase 13.700 moradores precisam se orientar em torno de uma realidade: ou se livram dos maus agente públicos pelo voto consciente ou terão de viver numa cidade fantasma, como se fossem também os próprios fantasmas….

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
rss