Cara fechada de Aécio não retrata realidade

Cara fechada de Aécio não retrata realidade

O líder do movimento “Vem Pra Rua” esteve no Congresso Nacional e cobrou dos partidos de oposição ao Governo Dilma um posicionamento firme sobre medidas para abertura do processo de impeachment contra ela. Na oportunidade, o político mais requisitado foi o senador Aécio Neves, do PSDB. Titubeante, furtivo e evasivo, tentou se safar. Mas não teve como escapar da pressão exercida pelo líder que lhe disse, diante de câmeras de TV: “se até nós das mobilizações de rua conseguimos nos organizar, porque será que os partidos de oposição não conseguem? Foi quando Aécio Neves, olhando sem graça para os lados, quase vaiado, se dignou dar uma satisfação. E respondeu tergiversando que seu partido está consultando juristas sobre a hipótese do impeachment. De qualquer maneira, um argumento pouco convincente. Ouve-se de outras lideranças oposicionistas, conforme é o caso de Ronaldo Caiado, pronunciamentos muito mais contundentes. Esse goiano, além de desejar o afastamento de Dilma, já vê o envolvimento criminoso de João Vaccari, tesoureiro do PT, como motivo suficiente para cassação, inclusive, do registro nacional da agremiação. Delúbio Soares foi preso pelos mesmos crimes! O comportamento titubeante de Aécio é muito estranho. Derrotado pelo PT, ano passado, em Minas (já no primeiro turno) e duas vezes à Presidência da República, não parece tomado de vontade para iniciar um projeto de oposição ferrenha contra quem o humilhou. No entanto,  haveria uma razão gravíssima para essa atitude acovardada. Em 2006, o mineiro abandonou seu colega de partido Geraldo Alckmin e se aliou a Lula. Ambos foram eleitos deixando o paulista em posição vexatória. Em 2010, em nova aliança sorrateira com o PT, Dilma e Antônio Anastasia também se elegeram. José Serra ficou a ver navios. À boca pequena, comenta-se, em Brasília, que muito dinheiro roubado à Petrobras irrigou tais campanhas. Em meio a essa ladroagem, ameaças veladas estariam pairando no ar contra Aécio. O recado delas seria claro e radical:  caso as investigações incriminem também Dilma e Lula outras cabeças vão rolar. Como se verifica, tudo até aqui apurado na Petrobras é café pequeno perto do que ainda está por vir…

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
rss