Na vila, imóveis históricos  caindo aos pedaços,  abandonados pelo  atual mandatário

Inexplicavelmente e sem existir a menor necessidade, aliás, até gastando dinheiro inutilmente para isto, a Copasa e o atual prefeito  de São Gotardo, Edson Cezário de Oliveira, firmaram acordo cujas consequências serão drásticas, pois através dele  vão poluir dois ribeirões  no distrito de Vila Funchal – o Córrego Sassafrás e o Córrego do Sítio, este formador do histórico Córrego Fundo que, por sua vez, é afluente do Rio Indaiá – unicamente para instalar rede de água e esgoto em  minguadas 80 casas  nas quais moram menos de 150 pessoas.

Criado, há 74 anos, pelo  decreto lei 148 de 17 de dezembro de 1938, o distrito conhecido popularmente por “Gordura”  chegou a ter 6 mil moradores no efervescente período da cafeitura sem nunca ter desfrutado dos confortos da vida moderna, mas, agora, por motivos ainda não explicados, a bucólica vila com menos de 150 pessoas  em 80 casas espalhadas vai receber rede de esgoto a ser perigosamente conectada a dois ribeirões.

Cezário: decisão que a natureza não agradece

Ironicamente, o Distrito de Guarda dos Ferreiros, com mais de seis mil moradores e  no momento  vitimado por cerca de 100 ocorrências de hepatite A, pela ausência ou total precariedade local exatamente desses serviços públicos,  vem pleiteando tal privilégio, há muitos anos,  sem o conseguir.

Bem avaliado e devidamente calculado, trata-se de um acordo economicamente inviável para a Copasa, com o qual o futuro prefeito Seiji Sekita não pode concordar, também não fazendo o menor sentido, pelo menos para os próximos anos, a construção na vila de uma estação de tratamento de água ou fossa séptica para cada ligação de água, pois mesmo recebendo produtos químicos visando  eliminação de bactérias os dejetos serão lançados nos ribeirões, contaminando leitos dos quais  se servem produtores e mesmo seus animais. Em Capelinha do Abaeté foi simplesmente adotado o sistema de fossas sépticas, mas para Vila Funchal decidiu-se lançar sujeira em dois ribeirões.

No dia 31 de outubro e também  em 03 último, dois funcionários da Copasa estiveram no Gordura medindo níveis, distâncias para tubulação, inclusive, deixando constrangedora notícia de que, no caso desta vila, o esgoto doméstico será lançado “in natura” nos córregos Sítio e Sassafrás.  Inconformados moradores da região já procuraram a prefeitura,   a própria Copasa até mesmo em BH, mas ninguém assume responsabilidades  pela decisão. O promotor de São Gotardo, Cleber Couto diz que nada pode fazer.

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail
rss