Ronaldinho e sua irmã Rosaura acusados de receber propinas em obras de asfaltamento

Prefeito Ronaldinho e sua irmã Rosaura acusados de receber propinas em obras de asfaltamento

A Câmara Municipal de Dores do Indaiá, no Alto São Francisco, sempre se mete em situações pândegas que acabam virando alvo de chacotas e piadas nos bares e botecos de esquina. Desta vez, oito vereadores, entre nove, componentes da base de oposição ao prefeito Ronaldo Costa, “Ronaldinho”, ex PT agora no PMDB e candidato a reeleição, se bandearam para o lado dele a quem prometeram apoio numa  jogada de puro oportunismo em acordo de vantagens eleitoreiras nas obras de asfaltamento na cidade. Mas, de repente, o sonho deles de se reelegerem vai se transformando em terrível pesadelo de derrota. pois suas campanhas ficam manchadas  com as denúncias de gatunagem escandalosa na prefeitura envolvendo o governante, sua irmã, um primo e um secretário Municipal, nas referidas obras de capeamento asfáltico. Nenhum dos oito tem respostas para os insistentes questionamentos dos eleitores sobre a bandalheira “.

Tais escândalos deveriam ter sido motivo para imediatas providências da Câmara Municipal, mas nada se fez. Só se tem notícia, através do Jornal Tribuna do Povo, que o vereador Flávio Pereira de Carvalho protocolou pedido de providências junto ao Ministério Público diante da atitude vergonhosa dos seus colegas. Quem vem se aproveitando desse cenário vexamoso   são os candidatos novos que resolveram investir ainda mais forte nas suas campanhas, já existindo expectativas de uma grande renovação na Casa Legislativa.

Recentemente, o Centroesteurgente divulgou reportagem com uma gravação na qual um empreiteiro do setor de asfaltamento, em conversa com o vereador Silvio Silva, deixava claro que o prefeito Ronaldinho, sua irmã Rosaura, um primo de nome Roberto e o secretário João Paulo Noronha, eram beneficiários de grossas propinas pagas por ele, como parte de acordo firmado na surdina para ganhar obras de asfaltamento em ruas de Dores do Indaiá.

O vereador Silvio Silva, intermediário do empresário junto ao prefeito, sai desse escândalo com imagem muito chamuscada, pois seus próprios colegas não duvidam que ele fez a gravação mirando auferir vantagens.

A frieza dessa proposta de reduzir a camada asfáltica  deixa à nu a revelação de uma situação abjeta e indigna que agrava ainda mais a participação do prefeito Ronaldinho, sua irmã Rosaura, o primo Roberto e o secretário Noronha. No Código Penal  poderiam ser enquadrados em crimes de formação de quadrilha. Nesse jogo sujo, concordava-se com a violação no contrato de asfaltamento em troca de uma suposta verba para o carnaval, de R$ 40 mil. A que ponto chegou o nível de corrupção nas concorrências públicas!  Ou seja, irremediavelmente, obras de péssima qualidade que, com certeza, deixarão o povo com raiva em futuro muito próximo, talvez já na próxima estação chuvosa.

O pior de tudo é que nem se pode afirmar que tais verbas para o carnaval foram, de fato, aplicadas.

De qualquer maneira, a decisão de asfaltar ruas da cidade em véspera  eleitoral foi uma maneira de enganar eleitores incautos, até mesmo porque em Dores do Indaiá, durante mais de três anos, não se inaugurou uma obra sequer de relevância.

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail
rss