Sekita: agarrado ao poder se candidata novamente. Tem muitos documentos de licitações sob suspeita de fraude guardados na prefeitura que não deseja ver em mãos de um prefeito inimigo.

Sekita: agarrado ao poder se candidata novamente. Tem centenas de  documentos de licitações sob suspeita de fraude retidos na   prefeitura por força da Justiça. Ele não deseja que  caiam  em mãos de um prefeito inimigo.

No próximo dia 15 de agosto vence o prazo para registro de candidatura às eleições municipais de 02 de outubro, mas em São Gotardo, no Alto Paranaíba, a safra de aspirantes ao cargo titular no executivo já apresentada até agora é de baixo nível, repetitiva e tão sujeita a questionamentos morais que está levando o eleitorado ao completo desânimo, criando perspectiva de um grande número de votos nulos e brancos, conforme fica claro nos constante manifestos de eleitores aqui no Centroesteurgente. Não obstante, essa opção facilitará  ainda mais a eleição de político corrupto.

Cezário, ameaçado de naufragar em alto mar

Cezário, ameaçado de naufragar em alto mar

Entre os quatro cabeças de chapa até aqui aprovados em convenção, apenas aguardando registro no cartório eleitoral, não tem sequer um nome capaz de motivar o eleitorado. Só despertam atenção pelo fato de 90 % deles estarem envolvidos, de uma forma ou de outra, em graves acusações de desvio de verbas públicas, motivo pelo qual até mesmo após o dia 15 de agosto pode haver surpresas desagradáveis, como é o caso do candidato Edson Cezário Oliveira em dupla com Waldemário França cujo registro poderá ser impugnado.

Célio das Caçambas (à esq) se deixou seduzir. Trocou eleição certa na Câmara pelo duvidoso.

Célio das Caçambas (à esq) se deixou seduzir. Trocou eleição certa na Câmara pelo duvidoso.

A situação de Cezário é a mais complicada porque suas contas financeiras referentes ao seu mandato 2009/013 não foram aprovadas, por causa de irregularidades graves. Ele dispõe de uma liminar para se lançar ao projeto político, mas seu futuro está dependente da Câmara Municipal onde pelo menos oito vereadores, entre 13, estão comprometidos com candidaturas ligadas ao petista  Seiji Sekita, Paulo Uejo e Claudionor Anicésio. Por isso mesmo, são seus rivais na disputa e vão pedir sua impugnação tão logo registre chapa. Isso é fato concreto e seus adversários estão só esperando que protocole o registro para afastá-lo do processo eleitoral. É como se inimigos, em todas as frentes, o espreitassem em cada esquina de rua, esperando seu passo em falso.

Um dos que mais torcem pela eliminação de Cezário é o atual prefeito petista Seiji Sekita que se recandidata em dobradinha com o vereador Célio das Caçambas. A torcida de Sekita pelo impedimento de Cezário tem motivos de sobra: como está muito desgastado perante o eleitorado, sendo considerado o pior prefeito da história local cuja administração está envolvida em desvios de milhões na área de Saúde, suas chances melhoram caso a chapa Cezário/Waldemário saia do páreo. Não à toa Seiji, no velho molde coronelista achando que o eleitor é sempre ingênuo, deixou para realizar algumas obras na cidade quase em cima do processo eleitoral. Em função do forte desgaste político, o atual governante teve muita dificuldade para arrumar um vice.

Claudionor: "brincando nos campos do senhor"

Claudionor: “brincando nos campos do Senhor”

Outra proposta política é a do atual presidente da Câmara Municipal, Claudionor Anicésio Santos em dobradinha com Carlinhos, da JVC. Mas Anicésio também, por conta de escândalos em falsificação de documentos juntamente com o ex-prefeito Paulo Uejo, desvio de dinheiro da Casa Legislativa por meio da apresentação de despesas mentirosas mirando recebimento de verbas repositórias, corre risco de ter sua chapa impugnada, bastando para isso que, durante a campanha eleitoral, seja condenado em um dos processos contra ele. O vereador contaria com o apoio de PU a quem sempre serviu com fidelidade, mas o comentário geral é de que o ex-prefeito não quer participar de sua aventura.

Por último, tem a candidatura de “Zezé do Ciro”, filho do ex-prefeito Ciro Franco, mas que lança seu nome confiante apenas nos votos de protesto dos eleitores, por falta de bons candidatos. Inclusive, para isso, lança como vice a esdrúxula figura de um cidadão desconhecido apelidado de “Bicicleta”. Espera, certamente, que o “Biciclea” atraia votos para sua chapa.

Odair e Ricardo desistiram, não vão apoiar ninguém

Odair e Ricardo Nunes desistiram, não vão apoiar ninguém

Por sua vez, o PHS, que projetou a possibilidade de lançar os nomes dos vereadores Ricardo Nunes e Odair Mussi, desistiu da ideia, mas se uniu ao PR numa proposta de não apoiar ninguém. “Depois de medirem “a “farinha e o fubá”, dizem eles, chegaram à conclusão de que os próprios moradores não gostariam de vê-los apoiando quem quer que seja. Concluiu-se, em convenção, que os nomes colocados para avaliação popular não representam os interesses legítimos do município. Essa dupla era vista como boa alternativa para assumir os destinos da cidade.

Ex-prefeito Paulo Uejo, por trás dos panos, agindo por fora

Ex-prefeito Paulo Uejo, por trás dos panos, agindo por fora

Mas correndo por fora nessa celeuma está o médico e ex-prefeito Paulo Uejo. Ele não pode participar das eleições por ter condenação de um ano e dois meses de cadeia, em São Gotardo, e mais cinco na Justiça Federal de Patos de Minas, por conta desvio de verbas federais destinadas ao capeamento do histórico Córrego Confusão. Inclui-se ai outro processo também na JF de Patos de Minas por desvios de verbas federais no Projeto Solar de casas populares. Se condenado será réu reincidente.

Mas PU dispõe ainda de alguma popularidade entre cidadãos aos quais dá consulta de graça em troca de votos e não será surpresa se lançar alguém ou o próprio filho Chico Uejo. Há um forte boato na cidade comentando tal hipótese.

Chico já foi deputado estadual eleito de maneira consagradora pela juventude de São Gotardo. No entanto, teve um mandato abaixo da crítica marcado por seguidos escândalos de corrupção dentro e fora de Minas Gerais. Também se envolveu em irregularidades graves na Assembleia Legislativa através da apresentação de notas fiscais frias visando recebimento de verbas repositórias. Juntamente com outros deputados acusados, foi notícia de destaque nos principais jornais do país.

Como se verifica, os soldados que se apresentam na linha de frente para resolver os graves problemas do município não merecem a confiança do povo, pelos que o risco de votos nulos e brancos poderá ser o maior da história.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
rss