Ausência do sentimento de assistência social no governo de Ronaldinho pode levar Rosângela à Justiça

Ausência do sentimento de assistência social no governo de Ronaldinho deve levar Rosângela à Justiça

Certamente, não existe ninguém que não tenha visto uma foto daquela poderosa máquina mais conhecida  pelo nome de catapulta muito utilizada na Idade Média para arremesso de pedras e bolas incendiárias nos conflitos de guerra entre reinados.

Estrategicamente postadas diante de um castelo elas causavam grandes estragos materiais e perdas de vida, levando soldados e moradores ao desespero, no interior da fortificação.

Pois algo muito semelhante está acontecendo em Dores do Indaiá, no Alto São Francisco onde a população de 13.700 moradores, principalmente, crianças, mulheres e anciãos, está vivendo momentos de terror e se vendo obrigada a buscar refúgio no interior de suas casas toda vez que ouve o assustador ruído anunciando a chegada de uma perigosa máquina da prefeitura já batizada pela criançada com o sugestivo nome de “geringonça”: trata-se de uma roçadeira acoplada a um trator para fazer cortes de plantas e até capina nas ruas.

Ronaldinho ainda não  ouviu preocupação dos moradores

Ronaldinho ainda não ouviu as preocupações dos moradores

Sim senhor, a fuga em disparada tem muita razão de ser, pois, nesse momento, tudo de ruim pode acontecer, incluindo-se riscos iminentes de morte. Durante a sempre descuidada operação de corte e poda rasteira a lâmina é rebaixada ao nível do chão se transformando em perigosa catapulta que recolhe e arremessa, com violência, pedras e pedaços de ferro, em tudo que estiver à frente.

Portões de residências, vidraças, automóveis e até mesmo desavisadas crianças e donas de casa postadas nas proximidades, tudo vira alvo fácil de ser atingido por artefatos cuspidos pela geringonça.

Desde que o prefeito Ronaldinho (do PT) colocou a perigosa máquina em operação na cidade, sem ouvir as advertências da população, já se previa  os riscos de ocorrerem tragédias. Semana passada o site local Tribuna do Povo documentou um caso que, sem dúvida nenhuma, poderia ter desfecho de vítima fatal. Por sorte, terminou com fratura do osso de uma perna e trincado em outro lugar na mesma perna.

A vítima é dona Rosângela, residente no bairro São José. Ela estava sentada à porta de sua casa quando a geringonça, a uma distância de mais ou menos 10 metros, lhe disparou um tiro certeiro. Imediatamente, foi socorrida por um vizinho e encaminhada ao hospital onde teve uma perna engessada. A violência do petardo teria sido mortal caso acertasse na cabeça.

Pessoa de parcos recursos, Rosângela procurou o prefeito que  a encaminhou à um secretário, mas tudo ficou por isso mesmo. Na tarde deste dia 03, a vítima esteve na delegacia de polícia e registrou BO, se dirigindo, imediatamente, ao Forum, provavelmente, para se orientar sobre medidas jurídicas cabíveis, reivindicando indenização.  Recolhida à sua casa, tomando medicamentos, ela foi avisada de que durante 90 dias não poderá exercer suas atividades de “bico” que sustentam a família.

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail
rss