Santa Rosa da Serra

São Gotardo, no Alto Paranaíba, cidade de economia tocada por uma rica agricultura sob a liderança de japoneses, vem sendo palco, nos últimos anos, de crimes estarrecedores contra o patrimônio público, na Prefeitura e na Câmara Municipal, mas, ironicamente, os políticos acusados jamais são punidas, levando a sociedade a questionar se existe Justiça nesse município.

Não é o que ocorre nas cidades vizinhas de Tiros, Matutina e Santa Rosa da Serra. Agora de manhã, nesta mesma Santa Rosa, com população de 3.888 moradores, a Polícia Civil, em operação cognominada“Eden”, prendeu a ex-prefeita Cleide Maria Ferreira Rangel, 53 anos, e seu marido Ronaldo Rangel,60, cumprindo mandado na própria residência do casal enquadrado nos crimes de responsabilidade, peculato e  outros envolvimentos.

A ordem de prisão foi executava por uma força tarefa da Polícia Civil composta dos delegados Luiz André Campos e Victor Hugo Heisler, respectivamente de Santa Rosa e Araxá, juntamente com suas equipes de investigadores. 

Em 2012, Cleide  Rangel  e os vereadores estiveram envolvidos em um escândalo que deixou chocada a população da pequena cidade. Ela conseguiu aprovar na Câmara um aumento de 66 % no salário de prefeito que passaria de R$ 6 mil para R$ 10 mil. Os próprios edis aproveitaram a boquinha e abiscoitaram para eles mesmos uma  elevação  de 46%, sem esquecer dos secretários municipais  e o vice prefeito, respectivamente  contemplados com   31,58 % e 16,67.

A cidade ficou revoltada já que os poucos recursos do FPM praticamente se destinariam a uma classe preguiçosa e perdulária cujo objetivo é   fazer da política um meio de vida. Não se inclui aí os desmandos do qual Cleide e o marido foram acusados e que desfecharam nas suas prisões. 

 

 (Amigo leitor, você pode também acessar nossas matérias pelo Facebook. Procure em Wolney Alves. Peça para adicionar seu nome)

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail
rss