Anicésio Santos quer acabar com situação ameaçadora de levar muita gente à falência

Anicésio Santos quer evitar   situação ameaçadora que pode  levar muita gente à falência

Finalmente, após quatro anos de muitas denúncias de irregularidades, falatórios e fantasias  em torno do  badalado plano de exploração de potássio à cargo da firma Verde Fertilizantes, nos maciços do Rio Indaiá, município de São Gotardo, a veracidade  ou não se  ela dispõe de   tecnologia e capacitação técnica para tocar o  empreendimento  será colocada em pratos limpos, em definitivo, por iniciativa, agora, da Câmara Municipal da cidade.
 O presidente desta  casa legislativa, Claudionor Anicésio Santos, acompanhado de uma comissão formada pelos vereadores Odair Mussi, Valdivino Honorato de Oliveira e Ricardo Nunes,  tomou a primeira providência no  dia 09 deste mês  quando esteve na Universidade Federal de Viçosa,  de Rio Paranaíba.  
 O reitor da instituição lhe  disponibilizou, de imediato, um geólogo e um engenheiro químico, sem nenhum ônus para os cofres públicos de São Gotardo,  para   fazer o acompanhamento técnico sobre os  questionamentos a serem respondidos pela  Verde Fertilizantes , através do Ministério Público.

Eles vão prestar assessoria dentro da Ação Civil  já existente no Ministério Público na qual a a VF, a partir  de agosto, será intimada  a responder uma série de perguntas técnicas e científicas em torno do seu projeto  até aqui  impregnado de muitas  dúvidas e sendo sustentado, nos últimos quatro anos,  apenas  por expectativas criadas em notícias de jornais,  propaganda, promessas mirabolantes  e acirrado  lobby. Ninguém jamais viu nada de concreto, convincente em torno dela.

Gervásio Ferrari será convidado para orientar investigações da comissão de vereadores

Gervásio Ferrari será convidado para orientar investigações da comissão de vereadores

Anicésio Santos informou ainda sobre  sua intenção de convidar o  renomado geólogo Pedro Gervásio Ferrari que, há quatro anos,  vem fazendo denúncias gravíssimas contra o projeto da Verde Fertilizantes cujo Relatório de Impacto Ambiental – RIMA  avaliou como se um pacote de mentiras para enganar a população de São Gotardo e Matutina, além de instituições financeiras de quem ela dependeria de empréstimos.

A suspeita de que o RIMA foi um arranjo apenas para esta finalidade se dá pelo fato de que dele, segundo Ferrari,  nada se aproveita.  Para  Ferrari, a única coisa que salva  nele é a capa. Nesse sentido, não se pode imaginar que a VF  submetesse um documento desse  ao PRONAN, pela certeza, antecipada, de que ele jamais passaria pelo crivo deste órgão.

De qualquer maneira, esta empresa sempre deixou de  responder vários  questionários formulados a  ela, por Gervásio Ferrari. Agora, na área do Ministério Público, ela terá a chance de por um fim às dúvidas que pesam sobre a idoneidade do seu suposto projeto nos maciços do Rio Indaiá.

Recentemente, o presidente da câmara, Claudionor Anicésio, advertiu sobre os perigos ocasionados   pelos estardalhaços  da empresa anunciando  riquezas e prometendo até uma linha férrea e um distrito industrial, entre outras coisas, favorecendo São Gotardo e Matutina. Em decorrência disto, já  existem pesados investimentos paralelos no município, entre os quais,11 loteamentos, já  contando como certa a efetivação do empreendimento. Poderá haver uma quebradeira em efeito cascata na região se tudo até aqui anunciado não passar de um castelo de areia.

Comenta-se, à boca pequena, que o prefeito Seiji Sekita jamais acreditou, um minuto sequer, na viabilidade do empreendimento. Por outro lado, tem se utilizado de sua suposta veracidade para  defender reivindicações, por verbas, em Brasília. Lá ele argumenta, mostrando gráficos e fotografias, que o município terá muitos benefícios quando o projeto estiver implantado, pelo que acaba convencendo  os órgãos federais.

Entretanto, se seu jogo de empurra vier ocasionar quebradeiras em efeito cascata, no município, dificilmente, terá uma explicação plausível para dar.

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail
rss