A despudorada prática de apropriação indébita  de dinheiro do povo  pela qual o prefeito de Rio Paranaíba, Marcio Antônio Pereira, “Marcinho”, vem sendo acusado desde a posse é um exemplo bem acabado daquele estilo em que o ladravaz sedento de acumular fortuna no tempo mais curto possível toma a decisão de jamais deixar para o dia de amanhã aquilo que pode roubar hoje.

Desumano e implacável – sempre agindo em cumplicidade com seus homens de confiança tal como se nuvens de esfomeados gafanhotos quando atacam verdejantes plantações – Pereira vem deixando manchas de suas impressões digitais em ações ilícitas de enriquecimento nos mais importantes setores da municipalidade por onde circulam gordos volumes de recursos.

Márcio Pereira sob estigma da corrupçao

Márcio Pereira sob estigma da corrupção

Não perdoa nem mesmo a já sacrificada área de saúde na qual, com ajuda do médico Frederico Lopes Silva, do secretário municipal de  Saúde Valter Nísio  e de três membros da Comissão Permanente de Licitações, em típica ação de quadrilha organizada, resolveu operar uma “limpeza” geral nos cofres da prefeitura.  A firma do doutor Frederico foi beneficiária de empenhos pagos estimados em  R$ 719.934,00, revelando um absurdo  superfaturamento de até 40%.

Por causa desses escândalos recentes, a juíza Tainá Silveira Cruvinel, no último dia três, determinou o afastamento de “Marcinho” por 180 dias sentença que – somada  a período idêntico de  condenação anterior – o enxota da prefeitura pelo prazo de um ano não se incluindo outras medidas tomadas contra ele e o médico Frederico, de bloqueio dos bens e multas acrescidas duas vezes os valores surrupiados.

Não faz muito tempo, o promotor José Geraldo Oliveira Silva Rocha, em brilhante trabalho, apanhou  o prefeito em flagrante prática de improbidade administrativa já iniciada antes mesmo de ser eleito. Combinou com os patrocinadores de sua campanha que os ressarciria quando eleito através de negociatas nas quais eles seriam privilegiadamente favorecidos em licitações dirigidas, ou seja, daquele tipo de “carta marcada” mirando beneficiar somente a turma do compadrio.

Nesta denúncia, Silva Rocha citou uma das grandes façanhas do esperto mandatário.  Num único dia, ele conseguiu realizar seis licitações de compra, coisa que nem a mais eficiente administração ou mesmo uma empresa privada seriam capaz de fazer.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
rss