Câmara de São Gotardo, que envergonha o povo de São Gotardo. Tem servido muito mais como valhacouto de políticos desonestos

Câmara envergonha povo de São Gotardo. Tem servido muito mais de valhacouto a políticos desonestos

Em São Gotardo, no Alto Paranaíba, nada vai mudar na política, no próximo ano que já se avizinha. Em articulação ao estilo de compadrio, a Câmara Municipal elegeu, por um placar de 10 X 2, a nova mesa diretora repartida com os mesmos vereadores acusados de graves prejuízos morais e financeiros ao município.

Curiosamente, entre os 10 políticos eleitores da nova mesa, oito faziam oposição ferrenha ao atual prefeito, mas agora, por um estranho motivo ainda não explicado, formam a fidelíssima base do governante que, em três anos, não realizou uma obra sequer na cidade, mas vem tendo sua administração conspurcada por denúncias de corrupção..

O vereador Claudionor Anicésio Santos foi reconduzido à presidência da Casa, seguido dos colegas, Genésio Martins Neto, “Tchesco”, vice; Gilberto Cândido de Oliveira, “Ganga”, 1° secretário; e Valdivino Honorato de Oliveira, atual presidente da Casa, segundo secretário. Competiu sem nenhuma chance o vereador Ricardo Nunes que teve o voto apenas do companheiro Odair Mussi. Esses dois não se enquadram nas imoralidades praticadas pelo grupo de apoio ao prefeito. Faltou apenas a presença do vereador Onofre de Oliveira, que se encontra nos EU onde continuará residindo, pelo que já apresentou renúncia ao cargo. Será substituído pelo suplente Gilmar Antônio de Carvalho, “Gil”.

A nova mesa  é constituída dos mesmos vereadores que, há três anos, sem mostrar nenhum serviço relevante, apenas serviu de maneira subserviente, aos propósitos do prefeito Seiji Sekita, aprovando sem questionamentos todos os desmandos administrativos causadores de prejuízos milionários ao município. No início do mandato eram fortes opositores ao governante e entraram de sola dispostos a punir desmandos na prefeitura. Mas qual nada. De repente, surgiram mansos e submissos, aprovando, inclusive, as contas financeiras do mandatário, do ano 2013, impregnadas de irregularidades na pasta de Saúde, com prejuízos de milhões.

Em 2016, com certeza, a mesa eleita continuará dócil e submissa na coleira puxada pelo prefeito tal como tem sido no decorrer de três anos. Politicamente, São Gotardo não terá nenhum motivo para comemorar, no período legislativo de 2016.

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail
rss