Wolney Garcia: "um Brasil que a grande mídia não deseja enxergar"

Wolney Garcia: “um Brasil que a grande mídia não deseja enxergar”

No mês de agosto ora encerrado, ao clicarem o Centroesteurgente em busca de alguma leitura ou serviços diversos, os amigos visitantes honraram nossa janela participando de importante relatório de pesquisas que nos distingue  com um bem-vindo e respeitável número de 510.319 mil entradas, índice equivalente a uma média diária de 16.648 mil originárias da região do Alto Paranaíba, no centro-oeste mineiro,  e também de centenas de outras cidades fora do Estado, incluindo muito países.

Levantamentos  estes que superam  em quase quatro vezes o total de habitantes dos municípios de São Gotardo, Carmo do Paraíba, Rio Paranaíba, Ibiá, Matutina e Dores do Indaiá.

Esse  quadro, que já era expressivo em maio último quando foi registrada a marca de  453 mil consultas, mostra um leitor até aqui  identificado com nossa linha editorial voltada, prioritariamente,  para assuntos ligados ao pleno exercício de cidadania num momento da vida nacional estigmatizado por graves e ininterruptas crises sociais decorrentes do alto nível de corrupção, indiferença, omissão e impunidade nos meios políticos.

Mas, sobretudo, esses números considerados altamente positivos indicam, claramente, a existência de um leitor a cada dia mais consciente e rigoroso na classificação do nível de credibilidade das informações quando, por isto mesmo,  abre mão do suposto poderio da grande mídia e faz opção pela autonomia e independência dos veículos de divulgação situados no recôndito  das redes sociais.

Creiam,  nossos queridos visitantes, não apresentamos tais estatísticas com fins específicos  da busca de  resultados econômicos  ou pela satisfação de conquistar liderança. Nós o fazemos pelo fato de gostarmos mesmo, muito, exageradamente,  de escrever,  mas, certamente,  sempre escrevendo sobre questões relevantes, motivo pelo qual  a resposta positiva  em torno desse trabalho, na forma de  expressivo número superando meio milhão de visitas, honra, dignifica e estimula nossos objetivos.

Em janeiro de 2008, quando este site foi lançado, então, com o nome do seu editor, o mega-empresário das comunicações, australiano  Rupert Murdoch, deixou escapar uma frase que sempre nortearia nossos objetivos. Dizia ele: “em 10 anos, as informações via internet  vão acabar com o jornalismo impresso em papel”.

Meia década decorrida, muitos grandes e tradicionais jornais já encerraram suas atividades e, recentemente, uma gigantesca  manifestação popular ocorrida em todo o país foi  planejada e mobilizada, silenciosamente, nos subterrâneos das redes sociais sem que dela se apercebessem os astutos políticos e os chamados carros-chefes da grande mídia.

 

DA EDITORIA

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail
rss