De janeiro a maio deste ano, exatos cinco meses,  o “Centroesteurgente” teve a honra e o privilégio de receber  quase três milhões de visitas de leitores das cidades do Alto Paranaíba e Alto São Francisco, incluindo Belo Horizonte.

A estatística exata foi de 2.824.720 milhões, média mensal de 564.950 mil ou o equivalente a 18.833 mil clicadas  diárias. Tal índice de quase 600 mil entradas  é superior em 15 vezes, por exemplo, à população de São Gotardo e 30 vezes a de Ibiá.

Wolney:  "leitor cada  vez mais exigente  repudia o jornalismo cortesão"

Wolney: “leitor cada vez mais exigente se distancia do jornalismo cortesão”

Projeções alvissareiras já indicam para este mês de junho, encerrando o primeiro semestre, uma marca próxima de três milhões e quatrocentas mil visitas de leitores. Um número nada desprezível para uma janela independente e sem parceria com grande órgão de comunicação.

Sempre atuando sob o foco dos interesse principais do Alto Paranaíba e Alto São Francisco, o “centroesteurgente” vem seguidamente registrando demonstrações surpreendentes de fidelidade dos leitores. Recentemente, em três datas seguidas, ultrapassou o número de 20 mil clicadas.

Tão expressivas marcas  ficaram caracterizados, de maneira clara,  na edição das matérias respectivas, sobre a condenação de cinco anos de cadeia ao ex-prefeito e médico Paulo Uejo, de São Gotardo; o escândalo denunciando envolvimento de um vereador desta cidade em negociata de apoio ao prefeito Seiji Sekita; e a também vergonhosa manobra de quatro membros da Câmara de Dores do Indaiá na tentativa de implodir uma CPI.

No caso desta cidade do Alto São Francisco, os dados são gratificantes, considerando sua população inferior a 14 mil habitantes. É claro que a reportagem teve forte repercussão em Quartel Geral, Estrela do Indaiá e Serra da Saudade, mas a pesquisa diz também que um mesmo leitor dorense, por diversas vezes, em um único dia, clicou as páginas do Centroesteurgente.

O efeito desencadeado por estas matérias de superior interesse mostra que a sociedade em geral está preocupada com os destinos dos seus municípios e quer acompanhar de perto a atuação de cada um dos seus agentes públicos escolhidos pelo voto democrático.  Em outras palavras, o que se publica e se anuncia aqui é visto em pelo menos 15 cidades destas duas regiões.

Rigorosamente caminhando nesta linha, este site não se furtará de continuar priorizando  assuntos na área política, sempre no exercício de fiscalizar e acompanhar as aplicações em investimentos originários dos recursos públicos destinados, principalmente, à saúde e educação. E sem deixar de lado  sua própria vocação inspirada na proteção ao patrimônio histórico e  ao meio ambiente, pela valorização dos belíssimos acervos de recursos naturais localizados na bacia do Rio Indaiá.

Fundado em janeiro de 2008, inicialmente, com o nome do próprio editor, o Centroesteurgente tinha a finalidade quase exclusiva de levar ao conhecimento dos governos, estadual e federal, os graves problemas sociais e econômicos dos municípios, em torno de oito, situados fora de áreas estratégicas, completamente isolados nos maciços pouco férteis  do verdete, nas duas margens do Rio Indaiá.

Pode-se dizer que o Centroesteurgente, conforme se apresenta hoje, nasceu em Dores do Indaiá onde, a partir de 2009, começou a receber denúncias diárias de maus tratos e menosprezo aos cidadãos humildes locais, na área municipal de Saúde. Desde então, centrou sua linha editorial sob o foco destas graves questões.

       

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail
rss