Já apresentando problemas pela falta de rede pluviais, o projeto de asfaltamento necessita ser revisto. Os moradores que sempre sonharam com a obra beneficiando suas casas deveriam cobrar do prefeito o restante do projeto. Para os referidos reparos, parte do capeamento terá de ser quebrado. Ronaldinho e Formado em engenharia e deveria saber disso.

Já apresentando problemas pela falta de redes pluviais, o projeto de asfaltamento de ruas necessita ser revisto. Os moradores, que sempre sonharam com a obra beneficiando suas casas, deveriam cobrar do prefeito o restante do projeto. Para os referidos reparos, parte do capeamento terá de ser quebrada. Ronaldinho é  formado em engenharia e deveria saber disso. A “vossoroca” da Rua 13 de Maio é um risco iminente.

Orçado em exatos R$ 3.200 milhões financiados pelo BDMG, incluindo verbas originárias das emendas parlamentares, o recente projeto levado a efeito visando asfaltamento de várias ruas, em Dores do Indaiá, no Alto São Francisco, sempre foi um sonho antigo muito acalentado pelos moradores. Entretanto, implementado da maneira como  foi, precipitada e a toque de caixa em cima da campanha eleitoral buscando amealhar votos, vai deixar a marca de inevitáveis consequências pela total ausência de outros investimentos obrigatórios simplesmente ignorados no mesmo canteiro de obras, priorizando-se somente os resultados eleitoreiros imediatos.

Uma das consequências se verificou, semana passada, durante chuva em que a enxurrada cobriu e enlameou muitas ruas asfaltadas, exatamente, por falta de essenciais redes pluviais destinados ao recebimento do intenso volume de água procedente do Bairro são José sempre despencando na conjunção das Ruas Tapajós e 13 de maio onde existe uma “vossoroca” de grandes proporções colocando em risco pelo menos 25 moradias. As demais ruas são como afluentes desembocando, avassaladoramente, na referida “vossoroca”.

A conclusão a que se chega é que o asfaltamento do Bairro são José não foi precedido da necessária e obrigatória construção de rede pluvial, pela instalação de manilhas interligadas fazendo a rede de captação. A obra atendeu a interesses exclusivamente imediatistas que só vão aumentar os riscos de desabamento das casas no entorno do “buracão da 13 de maio “. A Tapajós é íngreme e conduz a água em alta velocidade para a imensa cratera. Consertar tais erros constituirá, futuramente, outra novela, pois dependerá de quebrar grande parte do asfalto, acrescentando custos financeiros altíssimos. Em resumo, um projeto nem um pouco pensado, implementado sem qualquer visão de futuro, apenas para amealhar votos.

vossoroca 1Prefeito é engenheiro, mas
Negligencia técnicas

De maneira alarmante, desde o mandato Joaquim Cruz, a “vossoroca” vem adquirindo proporções avantajadas mas, agora, com o acréscimo de ruas cobertas de asfalto, impermeabilizando o solo, a tendência é a intensificação do drama, ainda mais.

No referido local do fenômeno existem grandes moitas de bambus lá plantadas na tentativa de amenizar a erosão ocasionada pelo volumoso caudal de enxurrada, mas nunca passando de medida paliativa, sem nenhum efeito prático . Para eliminar o processo de erosão seria necessário uma obra de contenção e canalização das águas pluviais. E como tal empreendimento ficaria embaixo do chão e não renderia votos, não foi realizada.

A solução só será definitiva com obras pesadas de infraestrutura que sempre foram empurradas pelos prefeitos, inclusive o atual, Ronaldinho, que, mesmo sabendo dos riscos inerentes ao projeto de asfaltamento, não quis ou não teve a visão de, primeiramente, atacar essa questão como garantia de tranquilizar os moradores como beneficiários de um bem definitivo.

Não se pode negar que muitas áreas hoje ocupadas com residências se deram de forma desordenada, desorganizada, sem acompanhamento por parte dos órgãos públicos locais, mas a verdade é que elas estão lá e constituem patrimônio dos seus moradores. Essa situação precisa ser solucionada e se configura em motivos de muita preocupação, pois seus donos não aceitam perder os imóveis. Estão, há anos, aguardando solução. Seus problemas deverão aumentar muito mais, daqui para frente, ante a perspectiva de maior condução das enxurradas, através da impermeabilização.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
rss